Conecte-se

FacebookTwitterInstagram

729fe41b bdf1 476a 8717 2a7044c8e933

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Repressão a Crimes Ambientais da DEIC, prendeu em flagrante, nessa quarta-feira (01) três pessoas pelo crime de parcelamento irregular do solo urbano, crime contra a economia popular e crime ambiental, em Florianópolis.

Segundo a delegada Beatriz Ribas, a divisão do terreno original em lotes estava sendo realizada sem qualquer autorização do poder público. Em um dos lotes já vendido, o adquirente estava realizando a terraplanagem e iniciando a infraestrutura da área, inclusive com prolongamento da servidão existente, para facilitar a circulação de caminhões para as obras. Os lotes estavam demarcados e havia estudo topográfico definido, com a divisão do terreno original em lotes para comercialização.

Os terrenos, frutos do parcelamento irregular de solo para fins urbanos, estavam sendo anunciados e oferecidos pelo corretor e o proprietário da imobiliária como se fossem regulares. Desta forma, os presos - o proprietário da imobiliária, o corretor de imóveis e o proprietário do terreno- foram autuados em flagrante pelos crimes previstos na Lei de Crimes contra a Ordem Tributária, Econômica e contra as Relações de Consumo, bem como pela Lei de Crimes Ambientais e Lei de Parcelamento do Solo Urbano.

Além disso, a obra foi embargada pela Prefeitura e foram realizas as devidas autuações administrativas pela fiscalização.

A Delegacia de Repressão a Crimes Ambientais da DEIC não medirá esforços para combater o parcelamento irregular do solo urbano, os crimes ambientais e demais condutas ilícitas relacionadas, de modo a impedir a ocupação urbana desordenada e a prática das construções irregulares.

c7ca5c4d 171f 4476 9574 3510087105ef

c9fd1536 d69d 419f b15e 4bafbee131fd

2108b365 1bca 4d03 9b54 ebb3f8a04766

ed040d7a 3fd8 44ca 8645 ad75ea9abf52

A Polícia Civil está nas ruas desde a madrugada desta quinta-feira (02) com a Operação Carga Geral para cumprir 52 ordens judiciais – 19 mandados de prisão e outros 33 de busca e apreensão, assim como o sequestro de bens dos investigados. A ação é da Delegacia de Furtos e Roubos de cargas da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC). De acordo com o delegado de polícia Luis Felipe Del Solar Fuentes, diretor da DEIC, a operação visa reprimir os crimes de furto, roubo e receptação de cargas.

Os mandados estão sendo cumpridos nas cidades de Agrolândia, Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, Barra Velha, Blumenau, Brusque, Indaial, Itajaí, Joinville, Penha, Porto Belo, Pouso Redondo, Rio do Sul e Taió, com o emprego de 100 Policiais Civis da DEIC e das Delegacias de Polícia das cidades onde estão sendo cumpridos os mandados judiciais.

A operação foi denominada ‘Carga Geral’ em razão da diversidade e variedade dos produtos subtraídos, desde alimentos a equipamentos eletrônicos, e visa a responsabilização dos autores pela prática de diversos delitos, dentre eles, receptação, lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa.

Até o momento foram apreendidos cerca de R$ 200 mil e uma arma de fogo na cidade de Brusque, bem como, uma arma de fogo na cidade de Pouso Redondo.  

13867e61 874c 4c89 a88d 385a7f971eb5

b6920240 8f66 4abb 93d8 502bad400c43

ec6bc819 d3af 411e 9a46 ecf4f531adda

14e67ef0 f11e 401d 9e6a 89d40d19084a

Delegado de Polícia Luis Felipe Del Solar Fuentes, diretor da DEIC explica sobre a operação:

Delegado de Polícia Osnei Valdir de Oliveira, titular da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Carga (DFRC) fala sobre a operação:

WhatsApp Image 2020 04 08 at 09.36.54 1

A Polícia Civil, por meio do Setor de Investigações Criminais (SIC) da Delegacia de Polícia de Concórdia, no Oeste catarinense, concluiu inquérito policial relativo ao compartilhamento de fake news na cidade.

O procedimento foi instaurado em meados do mês de maio deste ano, diante requerimento dos ofendidos e já foi remetido ao Poder Judiciário dentro do prazo legal.

Diversas pessoas que compartilharam um conteúdo em redes sociais e aplicativos de mensagem foram identificadas e ouvidas. No total, treze pessoas foram indiciadas pelos delitos de calúnia, difamação e injúria, todos na forma majorada, pois praticados contra funcionário público e por meio que facilitou sua divulgação.

Com o caso, a Polícia Civil cumpriu com sua missão no combate à fake news. Colabore! Não compartilhe conteúdo falso.

DSC 0032 3 1

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia de Sangão, sul do estado, identificou e prendeu na tarde desta terça-feira(30) o quarto envolvido em um roubo a uma motorista de aplicativo.

O crime aconteceu na noite do último dia 18 de junho. Na ocasião dois casais de Tubarão solicitaram o serviço por meio de um aplicativo, no bairro São João, e pediram uma viagem até Jaguaruna.

Ao chegar na cidade, o grupo anunciou o assalto. A motorista foi colocada no porta-malas do carro. Os criminosos passaram a ser acompanhados por uma viatura da PM e rumaram para Sangão, onde acabaram abandonando o veículo com a motorista ainda no porta-malas. A vítima foi resgatada pela Polícia Militar, apenas com ferimentos leves.

Na sequência, várias viaturas da PM fizeram um cerco nas proximidades do trevo do bairro Morro Grande e prenderam duas mulheres e um homem em flagrante. O quarto envolvido fugiu e foi localizado na tarde desta terça-feira. O grupo já está no Presídio de Tubarão, à disposição da Justiça.

 e993f8c7 6aa3 45e1 a640 6664c0cd6436

Delegados-gerais do Brasil se reuniram nesta manhã de quarta-feira (01), em videoconferência, com o Ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça.

Na reunião, apresentaram o Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil (CONCPC), que é composto pelos chefes de polícia, delegados-gerais e diretores-gerais das Polícias Civis de todos os Estados do Brasil e do Distrito Federal.

 De acordo com o presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial, delegado-geral Paulo Koerich, na oportunidade, foram tratados assuntos que visam a melhoria dos trabalhos da Segurança Pública no Brasil, bem como alinhamentos de ações das polícias judiciárias no país.