Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

Foto matéria araranguá

Na tarde desta quinta-feira (16), a Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Divisão de Investigação Criminal de Araranguá, recuperou objetos eletrônicos que foram roubados de uma loja localizada em Maracajá, no final do mês de julho. Na ocasião, três suspeitos entraram no comércio, renderam funcionários e roubaram diversos equipamentos eletrônicos.

Nesta quinta-feira, os objetos foram recuperados mediante o cumprimento de mandado de busca e apreensão em uma residência localizada em Criciúma. Durante as buscas, foram encontrados um telefone celular e outros objetos eletrônicos, como caixas de som e um smart speaker. Na mesma residência, foram encontradas ainda peças de roupas usadas por um dos criminosos, conforme imagens obtidas nas câmeras de monitoramento da loja que registraram o roubo.

A diligência, realizada pelos policiais na cidade de Criciúma, resultou ainda na identificação de duas pessoas suspeitas de terem praticado o crime, tratando-se de um jovem de 22 anos e um adolescente, de 14 anos, morador da casa alvo da operação policial.

436a10f9 f4f2 4162 ada9 30553996d0df

A Polícia Civil, através da Divisão de Investigação Criminal de Araranguá, concluiu, na sexta-feira (10), inquérito policial que apurou crime de latrocínio, ocorrido em agosto de 2017, no bairro Jardim Cibele, em Araranguá. Um homem e uma mulher foram indiciados por participar do crime, que resultou na morte de uma pessoa. Dois homens também foram indiciados pela prática de receptação.

Em agosto de 2017, a vítima foi encontrada sem vida, com as mãos amarradas nas costas com uso de uma cinta, um travesseiro sobre a cabeça e uma corda enrolada no pescoço, denotando ter sido vítima de estrangulamento. De acordo com familiares, uma televisão e um telefone celular foram roubados da vítima.

Ao longo das investigações, foram encontrados fortes indícios da participação de um homem de 34 anos e uma mulher de 39 anos no crime de latrocínio. Um dos objetos roubados da casa, um telefone celular, foi recuperado. Dois homens também foram indiciados pela receptação do objeto.

3b17aa8f 068c 46a5 9ef3 8d42d8459bf6

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Araranguá e a Polícia Militar, realizou na tarde da última sexta-feira (03) uma operação policial para cumprimento de mandados de busca e apreensão em um conjunto habitacional, localizado no bairro Arapongas, em Araranguá. As buscas foram feitas em três apartamentos, sendo apreendidos um simulacro de arma de fogo, droga e roupas usadas por suspeitos em crimes de roubo. Cerca de 20 policiais civis e militares participaram da operação, que contou com o apoio do Canil da Polícia Militar.

Investigações realizadas nas últimas semanas pela DIC de Araranguá, com o apoio da Polícia Militar, identificaram três suspeitos pela prática crimes de roubo em comércio. Foram cinco ocorrências registradas nos meses de julho e agosto, todas na região do bairro Coloninha, em Araranguá.

Em um dos apartamentos, os policiais apreenderam roupas e uma faca idênticas às usadas nas ocorrências investigadas. Em outra residência foi apreendida uma porção de maconha, um simulacro de pistola e um rádio comunicador.

290031f6 9af1 451b 8d25 d8e908778f51

ARMA

A Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Araranguá e da Delegacia de Maracajá, com o apoio da Polícia Militar, na manhã da quinta-feira (2) , prendeu um jovem de 20 anos em Araranguá, suspeito de participar de dois crimes de roubo a malote, praticados nos últimos meses. Outros dois suspeitos foram identificados, um deles foi um homem de 36 anos, preso em flagrante, na manhã da quarta-feira (1), portando um revólver, calibre .38, e o outro está foragido.

Os três homens foram identificados após investigação de dois roubos a malotes, ocorridos em janeiro e julho deste ano, em Maracajá. As vítimas dos crimes eram abordadas ao chegarem em frente a uma agência bancária da cidade. Um dos suspeitos era o próprio vigilante do banco.

b256c1a8 8809 442c 89b7 52edcd3d3b49

A Polícia Civil concluiu nesta terça-feira (31) a investigação que apurou uma fraude contra uma seguradora de veículos com sede em Forquilhinha, Sul do estado. As apurações identificaram um homem de 56 anos, que teria colocado fogo no próprio veículo, com o objetivo de aplicar o golpe do seguro e obter o recebimento do valor da indenização de aproximadamente R$ 21 mil.

A tentativa de golpe aconteceu no dia 7 de agosto. A ideia era colocar fogo no veículo e depois abandoná-lo na cidade de Timbé do Sul. Os policiais começaram a desconfiar da versão apresentada pelo suspeito, de acordo com o Delegado de Polícia Lucas Fernandes da Rosa, quando leram o registro de ocorrência de comunicação de furto, onde ele teria informado que o caso aconteceu no dia 8 de agosto, um dia após o veículo já ter sido encontrado em Timbé do Sul.

Após vários levantamentos e a análise de laudos periciais foi possível confirmar que o suspeito teria se deslocado até o município de Timbé do Sul, no período noturno, e colocado fogo no próprio carro, registrado um falso boletim de ocorrência de furto e em seguida solicitado o pagamento da indenização a seguradora do veículo. Com as investigações realizadas pela Polícia Civil, o golpe foi identificado antes do pagamento da indenização e o suspeito indiciado por crime estelionato.