Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

83437f08 e8a8 4599 a744 2fffb16bfd4a

Esta semana, a Polícia Civil, por meio da Academia da Polícia Civil (Acadepol), e a autarquia municipal BC Trânsito, promoveram o “Maio Amarelo” em Balneário Camboriú. O 4º Fórum de Segurança no Trânsito foi realizado na Uniavantis, na quinta-feira (19).

Houve a participação da Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, SAMU, Corpo de Bombeiros e organizações da sociedade civil.

Diversos assuntos relacionados à prevenção de acidentes e segurança no trânsito foram abordados no fórum, que ocorreu em duas etapas: uma destinada a adolescentes da rede pública e privada e outra destinada a agentes públicos federais, estaduais e municipais envolvidos no trânsito.

Esta é mais uma ação coordenada pela Polícia Civil que coloca em pauta o direito fundamental à mobilidade urbana e envolve não apenas o poder público, mas também a sociedade civil.

O movimento “Maio Amarelo” busca conscientizar a sociedade sobre o elevado número de acidentes de trânsito. O mês de “Maio” se tornou referência internacional pela União das Nações Unidas (ONU) e o “Amarelo” simboliza a atenção e sinalização no trânsito.

9ad6fa5e 895a 46d3 9628 059f38638aaa

970fa725 c23d 493f 8dc1 d60518ff03f5

WhatsApp Image 2022 05 20 at 09.11.05

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia de Bombinhas, cumpriu na quinta-feira (19) dois mandados de prisão de investigados por roubos e furtos em Bombinhas, litoral Norte de Santa Catarina.

O primeiro investigado estava há poucos meses cumprindo pena em regime aberto e foi identificado em uma tentativa de roubo a comércio, onde ameaçou uma criança e entrou em luta corporal com o dono, e em mais dois furtos em Zimbros. A Polícia Civil então representou pela prisão preventiva e pela busca e apreensão em sua residência. As medidas então foram cumpridas.

Ainda, outro investigado por um roubo no bairro José Amândio, ocorrido em fevereiro, também foi preso. O investigado teria abordado dois jovens em via pública às 23h30min e subtraído celular e corrente, ameaçando estar de posse de arma. Ele foi identificado pela Polícia Civil, localizado e preso. Após interrogatório, eles foram encaminhados ao Presídio de Tijucas, onde permanecem à disposição da Justiça.

9d6c63d8 7d0b 462b 93f8 344d196b9723

Policiais civis cumpriram nesta quinta-feira (19) três mandados de busca e apreensão em Porto Belo, no litoral Norte de Santa Catarina, e em Irati, relacionados a uma investigação em combate aos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e organização criminosa.

A investigação é da Delegacia de Polícia de Porto Belo. Houve o apoio do Núcleo de Operações com Cães (NOC/PCSC), da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de São Lourenço do Oeste e da Guarda Municipal de Porto Belo.

Trata-se de um inquérito policial instaurado a partir da apreensão de R$ 8 mil em posse de dois dos investigados na data de 09/06/2020 pela Guarda Municipal de Porto Belo, com indicativos de que seriam referentes ao recolhimento de suposto “dízimo” pago por integrantes de uma facção criminosa.

Durante as investigações, foi apurado que os investigados eram integrantes da referida facção e estavam estruturados para a prática dos crimes de tráfico e associação para o tráfico em Porto Belo. Foram apreendidos cocaína, balança de precisão, munição, apetrechos para o plantio e cultivo de maconha, que resultaram na prisão em flagrante de um dos investigados em Porto Belo.

O inquérito será concluído após a análise do material apreendido. Os investigados podem responder por tráfico de drogas, com pena prevista de reclusão de cinco a quinze anos, associação para o tráfico, com pena prevista de três a dez anos, e por integrar organização criminosa, com pena de três a oito anos.

3915a56c dd6b 43ff 81c5 549eaf80a37e

banner sala

Policiais civis da Delegacia de Polícia da Comarca de Tijucas prenderam nesta quarta-feira (18) um homem em uma investigação que apura golpes praticados em Tijucas. Esta é a segunda prisão no caso.

Um mandado de prisão foi cumprido. O preso é suspeito de ser o idealizador e beneficiário direto dos golpes, cuja suspeita é de que foram praticados por uma agente comunitária de saúde no município de Tijucas.

Após a prisão da mulher, a investigação continuou e obteve a identificação de outro suspeito. Diante das novas informações, angariadas durante a investigação, a Polícia Civil representou pela prisão preventiva e pelo deferimento de outras medidas cautelares.

Os pedidos foram deferidos pelo Judiciário, a equipe de investigação localizou o suspeito e realizou a sua captura. Ele foi ouvido e encaminhado ao Presídio Regional de Tijucas.

WhatsApp Image 2022 05 18 at 09.20.59

A Polícia Civil de Santa Catarina realizou uma operação em combate à prática da farra do boi nesta quarta-feira (18) e cumpriu cinco mandados de busca e apreensão em Porto Belo e Bombinhas, litoral Norte do Estado.

A investigação é da Delegacia de Polícia de Porto Belo. Na ação, houve o apoio da Delegacia de Polícia de Bombinhas, Polícia Militar e GOR – Grupo de Operações e Resgate.

Trata-se de um inquérito policial instaurado para apurar os crimes de maus-tratos a animais e associação criminosa relacionados à prática da farra do boi no bairro Araçá, em Porto Belo.

Durante as investigações, foram colhidos depoimentos e registros de ocorrências da farra do boi nos anos de 2020, 2021 e 2022. Neste período, três animais utilizados na farra foram resgatados pelo GOR com o apoio da Polícia Militar, bem como um dos animais utilizados na farra chegou a se jogar no mar para fugir dos farristas, sendo efetuado um vídeo por tripulantes de uma lancha de passeio.

A última ocorrência da prática da farra do boi foi no domingo (dia 15/05/2022). Após denúncias, o boi foi resgatado na terça-feira (17). Durante as buscas, foram apreendidos dois pássaros, um papagaio e uma coleira sem autorização do órgão ambiental, gaiolas e armadilha para capturar pássaros, gerando a instauração de Termo Circunstanciado (TC) pela prática de possuir animais da fauna silvestre sem a devida licença ou autorização.

O inquérito policial será concluído após a análise do material apreendido. Os investigados podem responder pelos crimes de maus-tratos a animais, com pena prevista de três meses a um ano, e associação criminosa, com pena de reclusão de um a três anos.

WhatsApp Image 2022 05 18 at 09.30.56