Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

Viatura sirene noite

A Polícia Civil de Gaspar e Ilhota, após um mês de investigações, esclareceu um crime de furto de fio de cobre ocorrido no dia 20 de abril deste ano, no bairro Margem Esquerda, em Gaspar.

Foram identificamos dois homens como sendo os suspeitos do furto de 550 metros de cabo de telefonia que resultaram um prejuízo financeiro e técnico de R$ 33.000,00 para uma empresa de telefonia, além da interrupção dos serviços aos clientes.

Diante disso, a Polícia Civil em Gaspar representou pela prisão dos suspeitos, que foi acatada pelo Poder Judiciário. Os homens já se encontravam presos pela prática do mesmo crime de furto de fio de cobre, sendo então os mandados de prisão cumpridos no Presídio Regional de Blumenau.

banner3

Na tarde desta sexta-feira (24), policiais civis de Gaspar e de Ilhota cumpriram um mandado de prisão preventiva contra um homem por descumprimento de medida protetiva de urgência que havia sido concedida à ex-mulher.

Ela possuía medida protetiva de afastamento e proibição de manter contato desde o ano passado, quando o seu ex-marido lhe agrediu. Na época, a Polícia Civil prendeu o homem pelas agressões. No entanto, no dia 31/05/2022, um dia após sair da prisão ele voltou a procurar pela vítima em sua residência e passou a fazer ligações anônimas ameaçando de morte.

A vítima procurou novamente a Polícia Civil, que em investigação descobriu o ex-marido era quem estava ameaçando por telefone. A Polícia Civil representou pela prisão preventiva, que foi deferida pelo Poder Judiciário. O homem foi preso, conduzido à Delegacia de Gaspar e depois encaminhado ao Presídio Regional de Blumenau.

 brasao

O futuro Complexo da Polícia Civil de Blumenau já conta com terreno para ser construído. Em evento no Parque Vila Germânica, na quarta-feira (22), o prefeito de Blumenau Mário Hildebrandt oficializou a entrega para o Estado, para as mãos do governador Carlos Moisés, do terreno onde será edificada a sede do Complexo da Polícia Civil de Blumenau.

O terreno, com mais de 8 mil metros quadrados, fica no bairro Fortaleza, nas margens da Via Expressa, e deverá abrigar além da Central Regional de Plantão Policial, a Delegacia de Polícia da área norte do município e todas as Delegacias especializadas. “Com a cessão oficial do terreno, agora estamos em fase de finalizar o projeto e de viabilizar a licitação”, disse o delegado regional de polícia de Blumenau, Rodrigo Marchetti, que também participou da solenidade.

Segundo o delegado regional de Blumenau, o Complexo é um projeto que já vem de alguns anos para modernizar e melhorar o atendimento às pessoas, impulsionando o atendimento da Polícia Civil na região. “Hoje são  12 municípios, numa população de 650 mil habitantes atendidos com duas Centrais Regionais de Plantão Policial e outras atividades. Por isso, além do trabalho da Polícia em Blumenau, as atividades também facilitarão os atendimentos às outras cidades do Médio Vale do Itajaí”, projeta o delegado regional.

banner4

A Polícia Civil de Santa Catarina, através da 4ª Delegacia de Combate à Corrupção (DECOR/PCSC) de Blumenau, cumpriu na tarde de terça-feira (21), dois mandados de busca e apreensão no Paraná em decorrência das investigações para apurar a suspeita de fraude à licitação e falsidade ideológica em processo licitatório da Prefeitura de Blumenau.

O inquérito policial foi instaurado em razão dos fatos noticiados por denunciante anônimo informando de possíveis irregularidades em pregão eletrônico que teve como objeto a aquisição de 15 mil testes rápidos para a detecção de anticorpos Covid-19 durante o período da pandemia.

Uma empresa, com sede em Paranaguá (PR), sagrou-se vencedora do pregão e firmou contrato com a Prefeitura de Blumenau no valor de R$ 1.199.000,00, com posterior aditivo de R$ 299.749,00, totalizando o valor contratado em R$ 1.498.749,00.

O edital do pregão eletrônico previa que os licitantes deveriam apresentar um atestado de capacidade técnica que comprovasse terem fornecido anteriormente materiais similares ao objeto licitado (testes rápidos Covid-19). O proprietário da empresa vencedora apresentou uma declaração em que outra empresa atestava ter adquirido “50 kits Covid-19 para teste rápido” da sua empresa.

Porém, investigações apontaram indícios de falsificação de documento. A suspeita é que a empresa vencedora utilizou-se de uma outra empresa sua para atestar a capacidade técnica, ou seja, ambas as empresas são do mesmo dono.As investigações prosseguem.

Viatura sirene noite

Três pessoas foram presas pela Polícia Civil em Blumenau pela suspeita de envolvimento no furto de um Caminhão VW/8.160 ocorrido no dia 1º de março deste ano. As prisões ocorreram na terça-feira (21) em Blumenau.

A ação foi realizada por policiais civis de Gaspar, Ilhota e da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de Blumenau e contou com informações do Núcleo de Inteligência da PCSC de Blumenau. Os presos são duas mulheres e um homem. Eles foram presos nos bairros Itoupavazinha e Testo Salto, em Blumenau.

Inicialmente, o motorista do caminhão alegou que, após entregar um veículo em Gaspar, foi abordado por um homem que anunciou o roubo do caminhão e o manteve refém até a manhã do outro dia, quando foi libertado no bairro Arraial, em Gaspar.

Com as investigações em andamento, a Polícia Civil verificou divergências entre o relato do motorista e as provas angariadas. Em nova oitiva, o motorista acabou confessando que tudo se passava de um golpe à empresa que trabalhava, que ele e os três presos desta terça-feira combinaram subtrair o caminhão avaliado em R$ 150.000,00.

Ainda durante as investigações, na Comarca de Gaspar houve um roubo à cooperativa em Blumenau, onde os 03 presos desta terça-feira são suspeitos de participação. Considerando a periculosidade e reiteração dos suspeitos, a Polícia Civil em Gaspar representou pelas prisões preventivas, que foram acatadas pelo Judiciário.

Em que pese os esforços empregados não foi possível localizar o Caminhão subtraído. Os três presos e o motorista do Caminhão responderão pelos crimes de furto qualificado, associação criminosa e falsa comunicação de crime. Os presos foram conduzidos para a CPP de Blumenau, onde foram interrogados e depois encaminhados ao Presídio Regional de Blumenau.