Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

17a3db21 a0e7 4180 ba89 9fd0cc2ab274

(Foto: Divulgação/PCRS)

Na manhã desta segunda-feira (21), a Polícia Civil de Santa Catarina cumpriu um mandado de busca e apreensão em Joinville, no Norte do Estado, em apoio à operação “Kairós” desencadeada pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul.

A ação em SC foi realizada por policiais civis da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC).

De acordo com a PCRS, a investigação é contra uma quadrilha que praticava roubos de relógios de luxo. Segundo divulgou a PCRS, os trabalhos foram realizados por intermédio da 1ª Delegacia de Polícia de Repressão a Roubos (1ª DR), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) da PCRS.

Até a manhã, no RS, 3 pessoas foram presas preventivamente, 1 temporariamente e 1 em flagrante por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito. Foram cumpridos 15 mandados de busca e de apreensão nas cidades de Porto Alegre/RS, Viamão/RS e Joinville, sendo apreendidos armas de fogo e veículos.

(Com informações da Polícia Civil do Rio Grande do Sul)

WhatsApp Image 2022 03 15 at 16.16.17

A Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de Joinville, realizou uma operação nesta terça-feira (16) com o objetivo de cumprir um mandado de prisão preventiva e dois mandados de busca e apreensão contra um homem suspeito de furtar armas de fogo de agências bancárias, em Joinville.

Os crimes teriam ocorrido entre novembro de 2020 e fevereiro de 2021, em Joinville. Durante esse período, diversas agências bancárias foram invadidas pelo suspeito e armas de fogo foram subtraídas. As investigações demonstraram que as armas de fogo, após subtraídas, eram vendidas para organizações criminosas atuantes em Joinville.

A  prisão ocorreu no bairro Jardim Iririú. Objetos relacionados à investigação foram apreendidos. O homem foi conduzido até a sede da DIC/PCSC, onde foi interrogado e depois encaminhado ao Presídio Regional de Joinville.

logo sala

Na quinta-feira (10), a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI/PCSC) de Joinville, cumpriu um mandado de prisão preventiva contra um homem de 54 anos, em Joinville. Ele é suspeito de ter abusado sexualmente da filha.

Segundo a investigação, o homem abusou sexualmente da vítima de forma reiterada, dos 6 aos 14 anos desta. O inquérito policial foi finalizado e o indiciado é réu em ação penal decorrente das investigações.

O preso foi conduzido ao Presídio Regional de Joinville, onde permanecerá à disposição da Justiça.

 Viatura 12y

Em Joinville, estão presas três pessoas suspeitas de envolvimento na morte de um motorista de aplicativo. A investigação é da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) da Políica Civil em Joinville.

Na tarde de quinta-feira, os policiais civis da DIC/PCSC de Joinville cumpriram dois mandados de busca e apreensão e três mandados de prisão temporária expedidos pela Vara do Tribunal do Júri de Joinville.

Os presos são suspeitos de estarem envolvidos na morte do motorista de aplicativo, que permaneceu desaparecido por dez dias, antes de ser encontrado sem vida, no sábado (05).

As investigações apontaram que o homem foi morto por motivos passionais. Um dos presos já possuía dois mandados de prisão por integrar organização criminosa e por homicídio qualificado praticado em 2020.

Após os procedimentos, os presos foram encaminhados ao Presídio Regional de Joinville e permanecem à disposição da Justiça.

As investigações continuam no sentido de identificar outros possíveis envolvidos no crime.

Viatura 12y

Na terça-feira (08), a Polícia Civil cumpriu um mandado de prisão preventiva contra um homem de 48 anos, em Joinville. O motivo foi o descumprimento de medidas protetivas e lesão corporal. A investigação é da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI/PCSC) de Joinville.

Segundo as investigações, a vítima, que teria medidas protetivas contra o autor dos fatos, foi agredida em diversas oportunidades, mesmo com a decisão judicial de afastamento. A Polícia Civil representou pela prisão preventiva dele, que foi deferida pelo Judiciário.

A prisão foi efetuada no bairro Jarivatuba e o homem encaminhado ao sistema prisional de Joinville, onde permanecerá à disposição da Justiça.