banner4

A Polícia Civil de Santa Catarina (PCSC), através da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI/PCSC) de São Lourenço do Oeste, fiscalizou denúncia sobre a existência de um lar de longa permanência clandestino na Linha Campinas, no interior de São Lourenço do Oeste, local no qual haveria idosos em situação de risco.

A fiscalização ocorreu na tarde de quinta-feira (12) e teve o apoio da Vigilância Sanitária, Conselho Municipal dos Idosos e Assistência Social. No local, foi constatado que três idosos estavam com suas vidas expostas a risco por falta de suporte medicamentoso necessário, alimentação adequada e cuidados mínimos.

Ainda foi apurado que um dos idosos, de 63 anos, era paciente de um lar de longa permanência em São Lourenço do Oeste, mas que, de tal local retirado a mando da proprietária do estabelecimento, pensando estar sendo encaminhado para a cidade de Pato Branco (Paraná), foi levado para o lar fiscalizado denunciado como clandestino, onde estava há aproximadamente 30 dias.

Uma mulher está sendo investigada pela suspeita do crime de expor a perigo a vida, integridade e saúde de idosos pela privação de alimentos e cuidados indispensáveis quando obrigada a fazê-lo, além da suspeita também por crimes patrimoniais e contra a liberdade e integridade física dos idosos. A Polícia Civil continuará atuando para garantir o cumprimento dos direitos dos idosos estatuídos na Lei nº. 10.741/03.

Fiscalização e interdição

A ação conjunta também fiscalizou no mesmo dia um outro lar de idosos, situado no Centro de São Lourenço do Oeste, em que havia denúncia de maus-tratos. No local havia nove idosos. A Vigilância Sanitária notificou a proprietária e determinou o fechamento do estabelecimento. Duas mulheres são investigadas.