Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

WhatsApp Image 2022 06 23 at 17.59.02

Policiais civis da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (DRACO) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC/PCSC) prenderam na tarde desta quinta-feira (23) um homem que estava foragido da operação “Network”. A prisão ocorreu no bairro Areias, em São José, na Grande Forianópolis. A operação “Network” investigou uma organização criminosa de SC voltada à prática de diversos tipos de crimes, como tráfico de drogas e o comércio ilegal de armas de fogo.

O preso tinha mandado de prisão preventiva decretado pelo Judiciário e estava foragido desde 2020. Ele é apontado como liderança de uma organização criminosa. Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão em residências utilizados pelo investigado. Houve o apoio do Núcleo de Operações com Cães (NOC/PCSC) e da Delegacia de Investigação à Lavagem de Dinheiro da DEIC/PCSC.

Fuga por vários Estados e na Colômbia

Foram apreendidos documentos falsos, telefones, computadores e outros objetos. O homem foi denunciado por organização criminosa, tráfico e comércio ilegal de armas de fogo. Neste período, suspeita-se que ele esteve em outros Estados e na Colômbia.

As investigações continuam para apurar suspeitas de outros crimes.

WhatsApp Image 2022 06 23 at 17.30.17

Nesta quinta-feira (23), a Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Delegacia de Capturas da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC/PCSC), prendeu um homem suspeito de estupro de vulnerável e assédio sexual. A prisão ocorreu em São Paulo (SP). O mandado de prisão preventiva foi expedido pela 4ª Vara Criminal de Florianópolis.

Após a investigação, a Polícia Civil de SC realizou diligências que possibilitaram localizar o paradeiro do foragido, que estava escondido em um hotel de São Paulo.O preso foi encaminhado ao sistema prisional de São Paulo, onde aguarda ser transferido para o Estado de Santa Catarina.

Denúncias e informações relacionadas a foragidos podem ser encaminhadas para o e-mail deic-capturas@pc.sc.gov.br ou no disque-denúncia da Polícia Civil (181), sendo garantido o anonimato.

banner2

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de Videira, prendeu na noite de quarta-feira (22) em Videira um homem procurado pela Justiça do Estado de Mato Grosso pela suspeita de ter cometido em 2002 um roubo seguido de morte na Comarca de Nova Mutum (MT).

O mandado foi expedido em 2007 após o suspeito ter fugido. A vítima era um representante comercial e ex-colega de trabalho do suspeito. Os policiais civis passaram a monitorá-lo e o surpreenderam na noite, quando retornava de viagem.

Com ele foram apreendidas seis porções de maconha, o que será apurado em procedimento próprio. O homem já cumpriu pena anteriormente por tráfico de drogas e não tinha sido descoberto, pois o mandado do Mato Grosso o identificava apenas pelo número do PIS e carteira de trabalho, restringindo os meios de consulta. Com a prisão, ele deverá ser transferido para o Estado de Mato Grosso.

COLETE TRÁS

Policiais civis da Delegacia de Polícia da Comarca da Fronteira de Xaxim cumpriram esta semana um mandado de prisão contra um homem por estupro de vulnerável qualificado pela lesão corporal grave, por duas vezes, devidamente majorado pelo fato do autor ser irmão da vítima. A prisão ocorreu na segunda-feira (20), no bairro Guarany, em Xaxim.

O mandado de prisão foi expedido pela Vara Única da Comarca de São Domingos. O homem foi condenado a uma pena de 19 anos, 09 meses e 26 dias em regime fechado. O caso foi investigado pela Delegacia de Polícia do Município de Entre Rios, entre 2014 e 2015, que se tratou de estupro de uma criança de três anos.

DPCAMI FLORIPA2

Na tarde desta quinta-feira (23), a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI/PCSC) de Florianópolis, cumpriu um mandado de prisão preventiva contra um homem, no Centro da Capital.

Ele conta com antecedentes criminais envolvendo violência doméstica contra a sua ex-companheira. Após a última soltura, o homem vinha reiteradamente descumprindo as medidas protetivas impostas, perseguindo a vítima e lhe ocasionando abalos emocionais. Ele foi interrogado e encaminhado ao Presídio da Capital.