Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

brasao

Nesta quinta-feira (19), a Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de Caçador, prendeu o suspeito de matar e esquartejar um homem em abril deste ano. O homem foi preso em uma reserva indígena entre os municípios de Calmon e Porto União.

A ossada do corpo foi encontrada há pouco menos de um mês, quando a Polícia Civil foi informada que, em uma área de mata próxima ao kartódromo de Caçador, poderia ser encontrado o corpo de uma pessoa desaparecida.

Com a localização dos restos mortais, a DIC/PCSC iniciou as investigações e reuniu elementos que apontaram para o suspeito do crime. De posse das provas, a Polícia Civil representou pela prisão temporária do suspeito e o pedido foi deferido pelo Poder Judiciário.

Após interrogado, o preso foi encaminhado ao presídio de Caçador. As investigações continuam com a colheita de novos depoimentos, enquanto se aguarda o exame de DNA da ossada encontrada para a confirmação da identidade da vítima.

A Polícia Civil pede que, caso alguém tenha informações sobre o crime ou da localização do restante do corpo, que denuncie através do 181 ou diretamente em uma das delegacias de polícia. É garantido o anonimato.

banner2

Nesta quinta-feira (19), a Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI/PCSC) de Palhoça e da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE/PCSC), prendeu em São Paulo (SP) um homem suspeito de estupro de vulnerável e armazenamento de material de pornografia infanto-juvenil.

Após denúncia de que uma criança estaria sofrendo abusos sexuais de seu padrasto em Palhoça, na Grande Florianópolis, a Polícia Civil começou a investigação e a colheita de provas dos fatos. O Poder Judiciário expediu mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva do suspeito.

O setor de investigação da DPCAMI/PCSC obteve informações de que o investigado estaria na cidade de São Paulo e repassou para a CORE/SC, que obteve êxito em cumprir os mandados. Foram apreendidos aparelhos eletrônicos, que serão submetidos à perícia, pois há suspeitas de que o homem poderia estar armazenando material de pornografia infanto-juvenil.

deiccapturas

Nesta quinta-feira (19), a Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Delegacia de Capturas (DECAP) e da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC/PCSC), prendeu um foragido da Justiça condenado com trânsito em julgado pela 1ª Vara Criminal da Capital, em virtude do cometimento de crime de tráfico de drogas.

O mandado de prisão estava em aberto desde o dia 04 de maio deste ano. A prisão ocorreu no bairro Areias, em São José, na Grande Florianópolis.

deicapturas01

6b2fbaae 99e8 47de 8757 0c05d662238e

Os programas de prevenção da violência contra as mulheres, de combate aos crimes contra o agronegócio, a tecnologia e a inovação são algumas das ações da Polícia Civil de Santa Catarina que o público pode conhecer no estande da Instituição na SC Expo Defense – Feira de Tecnologias e de Produtos de Defesa. A feira acontece na Base Aérea de Florianópolis. A abertura aconteceu nesta quinta-feira (19).

Presente na 2ª edição do evento, que vai até esta sexta-feira (20), a Polícia Civil de Santa Catarina traz no local, por exemplo, informações sobre o Programa PC Por Elas. A iniciativa do PC Por Elas integra os serviços da Instituição para atuar em diferentes propostas e garantir desde a prevenção até o atendimento adequado às mulheres e famílias vitimizadas pela violência.

Uma outra ação exposta é sobre os trabalhos desenvolvidos pelo Centro de Apoio Operacional de Combate aos Crimes contra o Agronegócio (CAOAGRO/PCSC). Também estão expostos novos armamentos da Instituição.

A SC Expo Defense é uma iniciativa do Comitê da Indústria de Defesa (Comdefesa), da Federação das Indústrias (FIESC) e é realizada em parceria com a Base Aérea.

A feira reúne profissionais ligados ao setor de defesa. O objetivo é mostrar o que há de mais moderno em produtos e tecnologias, promovendo a integração das Forças Armadas com a indústria, centros de tecnologia e academia.

"Workshop de Preparação – Rodada de Negócios"

Nesta sexta-feira, à 14h, a Polícia Civil também apresentará a Instituição e as suas ações na feira por meio de um Workshop de Preparação – Rodada de Negócios.

Mais informações: www.scexpodefense.com.br

88bdef0a 88c8 4c22 9995 0798bd4af429

6cdaa4fc 2635 468e 8170 c73d8aa46222

16fe0835 82c7 4235 9eb7 4696f2a9f6d4

5e486e1c 4f23 4917 a2e2 df4f53a6a39f

8da216e1 ee5e 4d89 ba2d 07401d0b600e

4080764d 3309 49d1 825a 9ed66a5d2ad6

9d6c63d8 7d0b 462b 93f8 344d196b9723

Policiais civis cumpriram nesta quinta-feira (19) três mandados de busca e apreensão em Porto Belo, no litoral Norte de Santa Catarina, e em Irati, relacionados a uma investigação em combate aos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e organização criminosa.

A investigação é da Delegacia de Polícia de Porto Belo. Houve o apoio do Núcleo de Operações com Cães (NOC/PCSC), da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de São Lourenço do Oeste e da Guarda Municipal de Porto Belo.

Trata-se de um inquérito policial instaurado a partir da apreensão de R$ 8 mil em posse de dois dos investigados na data de 09/06/2020 pela Guarda Municipal de Porto Belo, com indicativos de que seriam referentes ao recolhimento de suposto “dízimo” pago por integrantes de uma facção criminosa.

Durante as investigações, foi apurado que os investigados eram integrantes da referida facção e estavam estruturados para a prática dos crimes de tráfico e associação para o tráfico em Porto Belo. Foram apreendidos cocaína, balança de precisão, munição, apetrechos para o plantio e cultivo de maconha, que resultaram na prisão em flagrante de um dos investigados em Porto Belo.

O inquérito será concluído após a análise do material apreendido. Os investigados podem responder por tráfico de drogas, com pena prevista de reclusão de cinco a quinze anos, associação para o tráfico, com pena prevista de três a dez anos, e por integrar organização criminosa, com pena de três a oito anos.

3915a56c dd6b 43ff 81c5 549eaf80a37e