Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

Logo Fundo preto

A Polícia Civil de Santa Catarina ouviu mais de dez testemunhas até o começo da tarde desta quinta-feira (06) na investigação sobre as mortes de cinco pessoas em uma creche na cidade de Saudades, no Oeste de Santa Catarina. Outras cinco testemunhas haviam sido intimadas para prestar depoimentos ainda nesta quinta-feira (06).

O homem de 18 anos que foi preso pelas mortes continua hospitalizado. Ele teve a prisão em flagrante convertida em preventiva pelo Judiciário, ainda na quarta-feira (05). Segundo o Delegado de Polícia Jerônimo Marçal, ele será interrogado assim que o seu estado de saúde permitir.

Após decisão do Judiciário autorizando a quebra de sigilo de dados, a Polícia Civil também está realizando a extração de dados de dispositivos eletrônicos (computador e pen drive) apreendidos para a investigação. “Os investigadores da Polícia Civil estão debruçados fazendo varreduras nos dispositivos apreendidos para angariar mais elementos de interesse da investigação e esclarecer ao máximo possível esse crime horrendo”, afirmou o Delegado.

Confira a fala do Delegado:

WhatsApp Image 2021 05 06 at 15.45.14

A Polícia Civil participa de duas operações de combate a organização criminosa deflagradas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas de Santa Catarina (GAECO). Foi na manhã desta quinta-feira (06), em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso.

As Operações "Conexão Alvorada" e "Ouro Negro" cumpriram 48 mandados de prisão e 116 mandados de busca e apreensão, além do cumprimento de ordem judicial de indisponibilidade de bens no valor de aproximadamente R$ 1.620.000,00 (um milhão, seiscentos e vinte mil reais).

Operação "Conexão Alvorada"

A operação "Conexão Alvorada" tem por objetivo o combate de uma organização criminosa responsável pelo tráfico interestadual de entorpecentes na região sul do país. Os trabalhos tiveram início em meados do ano de 2019, por ocasião do recebimento de denúncia de que motoristas de transporte de cargas rodoviárias, residentes em São Miguel do Oeste e cidades próximas, estariam carregando grandes quantidades de entorpecentes na região de Ponta Porã/MS.

As investigações indicam a existência do esquema criminoso, apontando que as drogas eram transportadas para a região do litoral de Santa Catarina e, principalmente, para a região metropolitana de Porto Alegre/RS, tendo seu núcleo operativo principal de distribuição situado na cidade de Alvorada/RS.

O trabalho investigativo culminou com a identificação de embarcadores, motoristas de caminhão e vendedores de entorpecentes, resultando na expedição de 48 mandados de prisão temporária e 96 mandados de busca e apreensão, além de ordem judicial de indisponibilidade de bens dos motoristas indiciados na cifra de aproximadamente R$ 1.620.000,00 (um milhão, seiscentos e vinte mil reais).
Em Santa Catarina, os mandados foram cumpridos nas cidades de São Miguel do Oeste, Descanso, Belmonte, Palhoça e Imbituba; No Paraná, nas cidades de Capanema e Ivaiporã; em Mato Grosso, na cidade de Sinop; e no Rio Grande do Sul, em Alvorada, Porto Alegre, Viamão, Novo Hamburgo, Canoas, Charqueadas, Gravataí, Erechim e Capela de Santana.

Operação “Ouro Negro”

A operação “Ouro Negro”, cujas ordens são da Justiça Federal, visa combater o crime de descaminho, caracterizado, no caso, pelo ingresso irregular no Brasil de pneus de origem estrangeira, sem o necessário desembaraço aduaneiro. O GAECO obteve informações de que um grupo de pessoas estava envolvido com esquema criminoso, que consistia na aquisição reiterada e sistemática de pneus no Paraguai, introduzindo-os no Brasil com o objetivo de revenda em diversas cidades da região extremo oeste de Santa Catarina e inclusive no Estado do Rio Grande do Sul. Diante disso, foi elaborado relatório com os dados obtidos, remetendo-o ao Ministério Público Federal que representou judicialmente para obtenção de ordem de busca e apreensão.

Ao todo foram expedidos 20 mandados, sendo eles cumpridos nas cidades de São Miguel do Oeste/SC, Descanso/SC, Xaxim/SC, Xanxerê/SC, Tunápolis/SC, Capanema/PR, Iraí/RS e Bom Jesus/RS.
As operações estão sendo conduzidas pela Coordenadora do Grupo Regional do GAECO de São Miguel do Oeste, Promotora de Justiça Marcela de Jesus Boldori Fernandes, e pelos coordenadores estadual, Promotor de Justiça Alexandre Graziotin, e estadual adjunto, Promotor de Justiça Márcio Cota, do GAECO de santa Catarina.

Houve a participação também da Polícia Militar de SC, da Polícia Rodoviária Federal, da Secretaria de Administração Prisional e Socioeducativa de SC, do GAECO do Rio Grande do Sul, Brigada Militar, Polícia Civil e da Superintendência dos Serviços Penitenciários (SUSEPE) e Secretaria de Administração Penitenciária (SEAPEN) gaúchas.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Ministério Público de Santa Catarina.

WhatsApp Image 2021 05 06 at 15.45.151

WhatsApp Image 2021 05 06 at 15.45.15

Estágio PCSC

Você deseja estagiar na Polícia Civil de Santa Catarina? Está cursando Direito ou Administração? Conhece o programa Novos Valores?

A Polícia Civil tem vagas pelo Estado em estágio remunerado nestas áreas. Elas estão dentro do Programa Novos Valores, uma iniciativa do Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado da Administração e da Secretaria de Estado da Educação em que é oferecida oportunidade para estudantes exercitarem aprendizagem social, profissional e cultural.

Podem se candidatar estudantes do ensino superior com mais de 16 anos e que buscam inserção no mercado de trabalho em sua área de formação. As inscrições vão até o dia 30 de novembro de 2021.

Para se candidatar, o estudante precisa estar devidamente matriculado em instituição conveniada pela secretaria de Estado da Educação, conforme edital SED 75/2021, e buscar a secretaria ou setor de estágio da própria unidade de ensino. Os estágios são de quatro horas diárias, totalizando 20 horas semanais, e o critério de seleção é baseado na renda per capita familiar.

Para inscrição, são necessários os seguintes documentos, que devem ser apresentados na secretaria da escola ou instituição de ensino conveniada:

- CPF;
- RG;
-Título de eleitor (para aqueles com 18 anos ou mais)
- Comprovante de matrícula e frequência (obrigatório original);
- Comprovante de residência;
- Declaração do Imposto de Renda, do ano vigente, dos pais ou responsáveis, ou do cônjuge caso o(a) estudante seja casado.
- Autônomo, pensionista ou desempregado deve solicitar a Declaração de Autônomo disponibilizado no site (www.sea.sc.gov.br/Portal do Servidor/Programa Novos Valores);
- Declaração que não ocupa cargo ou emprego público;
- Última folha de pagamento dos pais, responsáveis ou cônjuge;
- Declaração médica de doença crônica na família (se houver);
- Declaração médica para estudante com deficiência;
- Números de telefones e endereço eletrônico.

Outras informações no email:
gepes-novosvalores@pc.sc.gov.br

Estágio PCSC 2

Estágio PCSC 3

 logobanner

Uma ação integrada capturou na tarde de quarta-feira (05) um homem condenado pela morte de uma agente penitenciária, em São José, na Grande Florianópolis. A prisão ocorreu por volta das 16h no centro histórico de São José.

Os responsáveis pela captura fazem parte de um setor de inteligência integrada da Secretaria Municipal de Segurança de São José formado por representantes da Polícia Civil, Polícia Militar e Guarda Municipal.

O homem estava com mandado de prisão em aberto pelo crime, que ocorreu em outubro de 2012 e pelo qual foi condenado a 14 anos de prisão – ele foi o executor do homicídio da agente.

Houve denúncia de que ele estaria em um veículo Citroen C4 em São José. A partir de trabalho de investigação e monitoramento do referido veículo, houve a abordagem e a prisão. O preso foi encaminhado ao sistema prisional.

WhatsApp Image 2021 05 05 at 18.53.29

A Polícia Civil prendeu um homem que instalou um equipamento no caixa eletrônico de uma agência bancária para lesar clientes que usavam o terminal, no Centro de Tijucas. A prisão ocorreu na terça-feira (04) pela Delegacia de Roubos e Antissequestro (DRAS) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC/PCSC).

O equipamento, conhecido como “chupa-cabra”, consiste em um componente eletrônico que registra todos os dados do cartão utilizado por qualquer cliente no caixa eletrônico, inclusive o código de segurança. Com isso, permite aos criminosos usarem esses dados em compras pela internet, até gastarem todos os valores existentes na conta ou até o limite do cartão.

Prisão

O homem de 36 anos, natural da Bahia, foi flagrado pelos policiais civis quando tentava retirar o equipamento, sendo preso pelo crime de furto qualificado. Ele teve a prisão preventiva decretada pela Justiça.

Para apurar a responsabilidade, a instituição financeira trabalha para identificar os clientes que tenham sofrido prejuízo e também a ação do criminoso em outros dias anteriores no local.