Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

chapecodifron

Na manhã desta quarta-feira (12), a Polícia Civil se reuniu com os presidentes de duas cooperativas, em Chapecó, no Oeste, para apresentar como funcionarão os novos setores da Instituição direcionados à investigação policial de crimes contra o agronegócio.

As reuniões foram com o presidente da Cooperativa Agroindustrial Alfa, Romeo Bet, e com o presidente da Cooperativa Central Aurora Alimentos, Neivor Canton. A Polícia Civil esteve representada pelo diretor de Polícia da Fronteira, delegado de polícia Fernando Callfass. Nos encontros, realizados nas sedes das cooperativas, também foram debatidas políticas públicas de segurança para o setor.

As criações do Centro de Apoio Operacional Estadual de Combate aos Crimes Contra o Agronegócio (CAOAGRO), do Núcleo de Inteligência do Agronegócio (NINTAGRO) e da Delegacia de Polícia Virtual de Repressão aos Crimes Contra o Agronegócio (DELEAGRO) foram anunciadas no dia 23 de dezembro pelo governador Carlos Moisés, em reunião com representantes do agronegócio.

As estruturas serão instaladas junto à Diretoria de Polícia da Fronteira (DIFRON/PCSC), em Chapecó. Os atos de ativação e inauguração estão previstos para ocorrer no dia 02 de fevereiro, durante a abertura oficial da 23ª Itaipu Rural Show, em Pinhalzinho.

00000000000000000000000000000000000000000333333

WhatsApp Image 2022 01 12 at 14.23.08

Nesta quarta-feira (12), a Polícia Civil de Santa Catarina, em uma fiscalização da operação “Verão Mais Seguro” realizada na rodoviária de Itajaí, apreendeu R$ 30 mil na mala de uma passageira. Segundo a mulher, o dinheiro iria com ela para Florianópolis e seria destinado ao pagamento de uma dívida de drogas.

Como a mala tinha odor de drogas, a Polícia Civil, com o apoio da Coordenadoria de Operações com Cães da PCSC, conseguiu identificar o objeto no bagageiro do ônibus. Um inquérito policial para apurar a situação foi instaurado. A mulher foi encaminhada para a Central de Polícia de Itajaí.

WhatsApp Image 2022 01 12 at 14.23.19

 maravilhaviatura

Na manhã desta quarta-feira (12), policiais civis da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) realizaram uma operação em Maravilha, no Oeste. O objetivo foi o de efetuar a prisão de dois homens investigados por diversos delitos no ano de 2021 e cumprir dois mandados de busca e apreensão nas suas residências, além de angariar novos elementos de prova.

A investigação começou em novembro após uma possível dupla tentativa de homicídio qualificada no Centro. Uma das vítimas realizou negócios com um dos investigados ao longo de 2021 e, em determinado momento, após desacordo entre eles e a possível prática de estelionato contra si, contratou advogado para realizar a cobrança judicial de alguns valores.

O investigado principal passou perseguir e a ameaçar esta vítima, bem como teria planejado um “atentado” contra sua vida ocorrido no dia 3 de novembro de 2021, quando ele e mais dois homens interceptaram um veículo na região central e efetuaram diversos disparos de arma de fogo, os quais atingiram a lataria do automóvel. Nesta ocasião, a mulher para quem supostamente seriam direcionados os disparos havia emprestado o carro para um casal de vizinhos, de modo que estes acabaram sendo os verdadeiros alvos do ataque orquestrado.

Pouco tempo após, em 21 de dezembro de 2021, o investigado principal (homem de 37 anos) praticou um roubo contra a sua antiga parceira de negócios. O crime foi em uma panificadora, no centro. Na ocasião, o investigado subtraiu a carteira da vítima, levando consigo folhas de cheque e dinheiro, além de espancar a mulher em via pública por meio de esganadura, tapas e socos. A carteira, já apenas com objetos pessoais, foi descartada pelo autor e devolvida à vítima por uma emissora de rádio local após ter sido encontrada abandonada.

Na manhã desta terça-feira, foram cumpridos dois mandados de prisão temporária expedidos contra o investigado principal, um homem de 37 anos, a princípio envolvido em todos os delitos, bem como a um comparsa, um homem de 29 anos, que teria auxiliado na emboscada do dia 3 de novembro de 2021. Durante as buscas foi encontrada escondida em um “bicho de pelúcia” uma das folhas de cheque objetos do roubo do dia 21 de dezembro de 2021.

Os mandados de prisão temporária são por 30 dias, renováveis em caso de necessidade, prazo durante o qual as investigações devem ser concluídas. Os presos permanecerão na unidade prisional de Maravilha.

WhatsApp Image 2022 01 12 at 09.18.43

WhatsApp Image 2022 01 11 at 19.43.17

A Polícia Civil apreendeu um adolescente de 17 anos que estava comercializando crack e maconha na localidade conhecida como "Morro da Prefeitura", em Turvo, Sul do Estado. A ação ocorreu na tarde de terça-feira (11) depois de os agentes receberem denúncias de que um barraco abandonado estava sendo utilizado por traficantes para comercializar drogas.

Com as informações, a Polícia Civil se deslocoou até o local, quando notou um adolescente fumando maconha. Na sequência, os policiais perceberam que ele tinha um pequeno frasco com cerca de 27 pedras de crack – também foi localizado um pequeno torrão de maconha. O adolescente foi encaminhado à Delegacia de Polícia, local em que também compareceu a sua genitora.

WhatsApp Image 2022 01 11 at 18.49.45

Na segunda-feira (10), a Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de Mafra, indiciou dez pessoas por crimes cometidos contra a Prefeitura de Mafra. A ação faz parte da operação "Hora Extra", que envolve crimes de estelionato contra a administração pública, corrupção passiva e ativa, falsidade ideológica e associação criminosa.

O inquérito policial foi instaurado para a apuração de um esquema de falsificação de registros de horas máquinas de dez caminhões e seis retroescavadeiras em um contrato de prestação de locação de horas máquinas de retroescavadeira, escavadeira hidráulica e de caminhões traçados.

Os serviços eram destinados à manutenção das estradas do município de Mafra. O contrato foi realizado através das Secretarias de Obras e Serviços Públicos, firmado por sociedade empresarial e pela Prefeitura Municipal de Mafra, no ano de 2019.

Durante o procedimento policial, foram realizadas buscas e apreensões e prisões preventivas dos envolvidos, bem como análise de documentos apreendidos e laudos de equipamentos eletrônicos. Os autos do inquérito policial foram enviados ao Ministério Público.