Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

5847cb4a a5dd 414b bb42 dd7619a30d58

A Polícia Civil identificou e prendeu dois dos quatro suspeitos de integrar uma quadrilha especializada em roubo de carros de motoristas de aplicativo. A ação é da Polícia Civil em Gaspar.

Foram quatro meses de investigações que resultaram em dois mandados de prisão preventiva cumpridos nesta sexta-feira (19), em Camboriú e Itajaí.

As investigações concluíram que os quatros roubos foram praticados pela mesma quadrilha especializada na subtração de veículos, sendo os autores identificados (quatro homens e duas mulheres). Foram expedidos mandados de prisão preventiva contra os integrantes pela prática dos crimes de associação criminosa armada, roubo majorado e uma tentativa de latrocínio.

Nesta sexta-feira, policiais civis de Gaspar e Ilhota cumpriram um mandado de prisão contra um homem de 37 anos que estava recolhido no Presídio de Itajaí e prenderam uma mulher de 34 anos em sua residência no bairro Monte Alegre, em Camboriú. Ela foi encaminhada ao Presídio de Itajaí. As diligências continuam para prender os demais integrantes.

A série de roubos começou no dia 4 de junho, quando um motorista de aplicativo de Blumenau foi acionado para fazer uma corrida até Gaspar. No caminho, os três ocupantes anunciaram o assalto sob a ameaça de uma arma de fogo e subtraíram o veículo, aparelho celular e R$ 300.

No dia 16 de junho, o grupo voltou a agir. Dois homens roubaram um motorista de aplicativo em Blumenau após solicitar uma corrida e, no percurso, já em Gaspar, anunciaram o assalto com uma arma de fogo e subtraíram o seu veículo, aparelho celular e R$ 100.

No dia 21 de junho, três homens tentaram subtrair um veículo na BR-470 após persegui-lo por alguns quilômetros pela rodovia. A vítima ainda tentou fugir do local, mas foi impedida após ter o veículo atingido com nove tiros, tendo um deles atingido a cabeça da vítima, que sobreviveu ao ataque.

Em 4 de julho, um motorista de aplicativo de Gaspar foi a quarta vítima do grupo criminoso. Ele foi acionado para atender uma corrida com destino a Ilhota e durante o percurso, ainda em Gaspar, um homem anunciou assalto mediante utilização de arma de fogo e subtraiu o veículo e um aparelho celular.

1c9ad2cc e328 4541 864e 8b26049add69

A Câmara Municipal de Vereadores de Tijucas prestou na quinta-feira (18) uma Moção de Louvor aos policiais civis da Delegacia de Polícia da Comarca.

A sessão foi proposta pelo vereador Edson Souza, que também atua como policial penal. Na oportunidade, o vereador destacou o excelente trabalho prestado pela equipe da Delegacia de Polícia de Tijucas à comunidade.

Os homenageados receberam uma placa em retribuição ao trabalho realizado. São eles: Célio Sebold, Luiz Carlos Kohskoski, Rodrigo Alves de Brito, Jacanã Barbosa e Félix João de Souza.

viatura6

A Polícia Civil prendeu em flagrante na manhã de quarta-feira (17) um homem por suspeita de importunação sexual contra uma adolescente. O fato aconteceu dentro de um estabelecimento comercial da cidade de Arvoredo. O suspeito se aproveitou do momento em que ela estava sozinha no estabelecimento comercial para cometer o crime.

O homem foi levado para a Delegacia de Polícia da Comarca de Seara, prestou depoimento e foi transferido para o Presídio Regional de Concórdia.

O crime de importunação sexual, definido pela Lei n. 13.718/18, é caracterizado pela realização de ato libidinoso na presença de alguém de forma não consensual, com o objetivo de “satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro”.

O caso mais comum é o assédio sofrido por mulheres em meios de transporte coletivo, mas também enquadra ações como beijos forçados e passar a mão no corpo alheio sem permissão. O infrator pode ser punido com prisão de um a cinco anos.

9d60b318 b703 4f4b b651 d6c6c74e48cd

Nesta sexta-feira (19), a Polícia Civil de Santa Catarina deflagrou a operação “Sancta Pecúnia”, contra uma associação criminosa que estava realizando procedimentos clínicos e cirúrgicos, sem a devida formação técnica. Os procedimentos eram realizados por uma falsa freira que, na verdade, era um homem, nos município de Timbó, Blumenau e Ibirama.

No total, quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos pelas Delegacias de Polícia das Comarcas de Timbó e de Indaial, pela 2ª Delegacia de Polícia de Blumenau e pelo Núcleo de Inteligência da Delegacia Regional de Blumenau.

Foram apreendidos objetos referentes aos atendimentos realizados pela personagem, bem como o valor em espécie de R$ 2.850,00. Além disso, a pedido da Polícia Civil, o Poder Judiciário determinou a indisponibilidade de quatro veículos, pois suspeita-se que os carros teriam sido comprados com a prática dos atendimentos ilícitos.

Os procedimentos médicos foram publicados em uma rede social. Sendo que, em um dos vídeos, a suposta freira retira um cálculo renal de um cliente. Durante os atendimentos, além de pequenas cirurgias, os suspeitos se utilizaram de elementos religiosos para prometer cura de doenças.

A investigação, realizada pela Delegacia de Polícia Civil da Comarca de Timbó, constatou que cada atendimento custava R$ 100, sendo que a "cirurgia" custava R$ 300.

d6fb9489 3deb 4637 bfdd dacbc4a80370

logo sala

Policiais civis da Delegacia de Defraudações da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC/PCSC) cumpriram nesta sexta-feira (19) um mandado de busca e apreensão em Jaraguá do Sul. O objetivo foi o de coibir fraude em compras realizadas na plataforma online de um supermercado.

Conforme representação apresentada pelo supermercado, foi verificado que o investigado conseguiu alterar preços de diversos produtos na plataforma online e, após a alteração dos preços, realizava a compra destes com preços muito abaixo do valor de mercado. Além do lucro obtido pelo investigado, a empresa ainda foi obrigada a finalizar diversas outras compras realizadas por terceiros de boa-fé.

Após diligências, a equipe de investigação da Delegacia de Defraudações identificou o autor dos fatos, o qual reside em Jaraguá do Sul. Após o cumprimento do mandado de busca e apreensão, foi realizado o interrogatório do investigado, que confessou a fraude perpetrada. O crime previsto no caso é o de estelionato.