Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

f12b35db d8e1 47b3 b5c3 856795c77f87

Em Brusque, policiais civis da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) cumpriram três mandados de busca e apreensão na manhã desta terça-feira (12). Houve apreensão de drogas e prisão.
Os mandados são decorrentes de investigação iniciada pela DIC/PCSC de Brusque em 2021, ocasião em que foram angariados diversos elementos ligando um homem à distribuição de entorpecentes no bairro Steffen.

Durante o cumprimento das buscas, o homem ainda tentou se desfazer dos entorpecentes, escondendo no forro do imóvel e jogando outra parte no ralo do banheiro. Entretanto, após busca minuciosa e com o emprego de cão de faro, os policiais localizaram todo o material.

Foram apreendidos 500g de maconha, cerca de 150g de cocaína, três balanças de precisão, cerca de R$ 7 mil, munição, caderno com anotações do tráfico, outros materiais para preparo e separação dos entorpecentes, além de um aparelho DVR e um televisor utilizados pelo homem para monitorar a rua e evitar eventual ação policial.

As buscas ocorreram em uma distribuidora de bebidas, um bar e uma residência. Além da prisão do homem, outras três pessoas foram conduzidas por posse de entorpecentes e depois foram liberadas. O preso será encaminhado ao Presídio de Brusque após a lavratura do auto de prisão em flagrante.

A ação contou com o apoio da Delegacia de Polícia da Comarca de Brusque, Delegacia de Polícia da Comarca de São João Batista, Delegacia de Polícia de Major Gercino e Núcleo de Operações com Cães (NOC/PCSC) de Joinville.

brusquefiscaliza

Na noite de quinta-feira (07), policiais civis atuaram em uma operação conjunta de fiscalização de casas noturnas em Brusque. A ação foi por meio da 17ª Delegacia Regional de Polícia de Brusque, Delegacia de Furtos Roubos, Delegacia de Polícia de Botuverá, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Ibeplan, Fundema e Vigilância Sanitaria.

A operação foi coordenada pelo Setor de Jogos e Diversões da Delegacia Regional de Polícia de Brusque e teve como objetivo verificar a regularidade quanto aos alvarás de casas noturnas de Brusque.

A Polícia Civil realizou algumas notificações de estabelecimentos com o propósito de que se adequem em situações pontuais. Além disso, uma casa noturna, localizada no Centro, foi interditada. O local já havia sido notificado anteriormente e não atendeu as exigências determinadas.

brusquefiscaliza01

COLETE DIC 01

Nesta sexta-feira (01), a Polícia Civil do Estado de Santa Catarina, por intermédio da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de Brusque, e a Polícia Civil do Estado de São Paulo, por intermédio da Divisão de Antissequestro - DAS e Delegacia de Polícia de Itanhaém, cumpriram um mandado de prisão preventiva contra um homem pelo crime de estupro de vulnerável.

O crime foi praticado no final do ano de 2020, no bairro Guarani, em Brusque, contra uma criança de cinco anos, bisneta do suspeito. O inquérito foi instaurado pela Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI/PCSC) de Brusque, e foi finalizado com o indiciamento do investigado e encaminhamento ao Poder Judiciário. O homem foi denunciado pelo crime e desde então estava foragido.

Os policiais civis da DIC/PCSC de Brusque receberam informações e realizaram diligências com o apoio da DAS/SP, que identificaram o paradeiro do homem em Itanhaém/SP. Novas diligências foram feitas pela Delegacia de Polícia de Itanhaém, que culminaram com a localização dele, no bairro Suarão. No momento do cumprimento da prisão, os policiais encontraram na residência do homem vários brinquedos infantis, sendo que ele morava sozinho no imóvel. Após a prisão ele foi encaminhado ao Presídio de Peruíbe/SP.

 WhatsApp Image 2022 03 03 at 18.42.41

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Furtos e Roubos (DFR/PCSC) de Brusque, prendeu na tarde de quinta-feira (03), um homem de 37 anos investigado pela prática de seis furtos em empresas, em Brusque.

Conforme a investigação da DFR/PCSC, no período de agosto a dezembro de 2021, o investigado sozinho teria praticado furtos em diversas empresas nos bairros Santa Terezinha e Limoeiro.

No bairro Santa Terezinha, o investigado subtraiu 17 baterias de caminhões de duas empresas. Ele entrava pelo pátio das empresas durante a noite, e deslocava até onde os caminhões estavam estacionados e, mediante o uso de ferramentas, cortava os cabos das baterias instaladas nos caminhões e as furtava. Apurou-se, ainda, que em uma mesma empresa o investigado chegou a praticar dois furtos em noites distintas.

Já no bairro Limoeiro, o preso realizou a subtração de fios de cobres instalados nas empresas, mediante a utilização de um machado. No bairro ele praticou três furtos contra o patrimônio de uma mesma empresa em dias distintos, causando a interrupção dos trabalhos de 52 funcionários e um prejuízo aproximado de R$ 120.000,00. 

A prisão ocorreu em virtude de mandado de prisão expedido pela Vara Criminal de Brusque, em processo decorrente de inquérito policial que tramitou na Divisão de Furtos e Roubo.

Alerta

A Polícia Civil alerta as pessoas e as empresas, principalmente de sucatas e materiais reciclados, para que não comprem esses tipos de mercadorias sem procedência, pois a conduta configura o crime de receptação, além de fomentar a prática do crime de furto em Brusque.

5d000e0f 3193 47b0 b8d8 9f4b3ffc6e62

A Polícia Civil, em apoio à ACAPRA, resgatou três animais em situação de maus tratos na terça-feira (08), em Brusque.

O primeiro caso foi no bairro Dom Joaquim, onde foi encontrada uma cachorra da raça Dalmata extremamente debilitada e fraca em razão da magreza visível. Também havia uma cachorrinha filhote, que igualmente foi retirada do local para passar por avaliação médico veterinária. Neste local, não havia água potável ou comida à disposição dos animais.

Na segunda diligência, no bairro Bateias, um cão de grande porte e sem raça definida foi resgatado, pois estava amarrado a uma corrente e era alimentado por vizinhos. Uma equipe da Polícia Civil já havia retirado um cão da raça pitbull no mesmo endereço em outubro do ano passado.

Inquéritos policiais foram instaurados para a responsabilização dos tutores pelo crime de maus tratos, cuja pena pode variar de 2 a 5 anos de prisão. Os cães ficaram sob a responsabilidade da ACAPRA a qual, após os devidos cuidados, providenciará para que eles sejam adotados.

eeda1373 44f5 439d 969c ccad1fb83cd4