Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

viatura sirene2

Policiais civis da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI/PCSC) de São Lourenço do Oeste cumpriram um mandado de prisão preventiva contra um homem de 26 anos investigado pelo crime de descumprimento de medida protetiva de urgência. A ação foi na tarde de segunda-feira (16), em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), no contorno viário de Pato Branco (Paraná).

Por volta das 22h30min de 09/05/2022, na Linha Costa, em São Lourenço do Oeste, uma mulher de 18 anos retornava da faculdade e em via pública começou a ser perseguida pelo seu ex-companheiro, o qual estava em uma motocicleta. Próximo a residência da mulher, ela perdeu o controle do veículo e capotou por diversas vezes. O homem que a perseguia presenciou o acidente e fugiu do local.

A vítima, mesmo ferida, conseguiu sair do veículo e foi socorrida por um morador próximo ao local do acidente, ocasião na qual o homem fugiu em rumo ignorado, tornando a descumprir medida protetiva no dia 15 após ameaçar a ex-companheira e seus familiares.

A Polícia Civil realizou as investigações e representou pela prisão preventiva do suspeito. O pedido foi deferido pelo Poder Judiciário. O homem então foi preso e encaminhado ao Presídio de Pato Branco (PR).

 banner4

A Polícia Civil de Santa Catarina (PCSC), através da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI/PCSC) de São Lourenço do Oeste, fiscalizou denúncia sobre a existência de um lar de longa permanência clandestino na Linha Campinas, no interior de São Lourenço do Oeste, local no qual haveria idosos em situação de risco.

A fiscalização ocorreu na tarde de quinta-feira (12) e teve o apoio da Vigilância Sanitária, Conselho Municipal dos Idosos e Assistência Social. No local, foi constatado que três idosos estavam com suas vidas expostas a risco por falta de suporte medicamentoso necessário, alimentação adequada e cuidados mínimos.

Ainda foi apurado que um dos idosos, de 63 anos, era paciente de um lar de longa permanência em São Lourenço do Oeste, mas que, de tal local retirado a mando da proprietária do estabelecimento, pensando estar sendo encaminhado para a cidade de Pato Branco (Paraná), foi levado para o lar fiscalizado denunciado como clandestino, onde estava há aproximadamente 30 dias.

Uma mulher está sendo investigada pela suspeita do crime de expor a perigo a vida, integridade e saúde de idosos pela privação de alimentos e cuidados indispensáveis quando obrigada a fazê-lo, além da suspeita também por crimes patrimoniais e contra a liberdade e integridade física dos idosos. A Polícia Civil continuará atuando para garantir o cumprimento dos direitos dos idosos estatuídos na Lei nº. 10.741/03.

Fiscalização e interdição

A ação conjunta também fiscalizou no mesmo dia um outro lar de idosos, situado no Centro de São Lourenço do Oeste, em que havia denúncia de maus-tratos. No local havia nove idosos. A Vigilância Sanitária notificou a proprietária e determinou o fechamento do estabelecimento. Duas mulheres são investigadas.

DIC VIATURA TRAS2

Nesta terça-feira (03), a Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Divisão de Investigação Criminal da Fronteira (DIC/PCSC) de São Lourenço do Oeste, cumpriu um mandado de prisão preventiva expedido contra uma mulher por tráfico de drogas, em São Lourenço do Oeste. A mulher já havia sido presa em flagrante pela Polícia Civil em fevereiro deste ano pelo crime, quando foi encontrada maconha escondida em uma cadeirinha de bebê.

Na audiência de custódia, a mulher foi posta em liberdade provisória, com aplicação de medidas cautelares diversas da prisão, como monitoramento eletrônico, recolhimento noturno, e comparecimento em juízo. Porém, devido ao descumprimento reiterado de tais medidas cautelares (deixou descarregar o equipamento da tornozeleira eletrônica e não compareceu mensalmente em juízo) foi decretada a prisão preventiva da mulher.

brasao

Esta semana, a Polícia Civil prendeu um casal (um homem de 33 e uma mulher de 32 anos) investigados pelos crimes de homicídio e ocultação de cadáver em Campo Erê, no Oeste de Santa Catarina.

As prisões ocorreram nas tardes de quinta-feira (28) e sexta-feira (29), através da Divisão de Investigação Criminal da Fronteira (DIC-Fron/PCSC) de São Lourenço do Oeste, com o apoio da Delegacia de Polícia de Comarca da Fronteira de Campo Erê e da Polícia Civil do Paraná.

A prisão da mulher foi efetuada na tarde de quinta-feira, na Vila Siqueira, no município de Barracão (Paraná) e a do homem na tarde de sexta-feira, na Linha Bicudo, em Campo Erê.

Na noite de domingo (24), às margens de um rio que atravessa a Linha Pesqueirinho, em Campo Erê, foi encontrado, parcialmente enterrado, numa cova rasa, um cadáver em avançado estado de decomposição.

O corpo foi identificado como sendo de uma mulher de 51 anos, vista pela última vez com vida na data 03.04.2022, e indicava sinais de morte violenta, eis que, de acordo com o Instituto Médico Legal (IML), apresentava um corte profundo na região do pescoço.

Após acionada, a Polícia Civil iniciou as diligências para apurar o ocorrido e em menos de 48 horas os indicativos das autorias com elementos suficientes para imputação do cometimento dos crimes já haviam sido descobertos.

Investigação

A motivação, circunstâncias e outros pormenores que redundaram na morte e ocultação do cadáver seguem em investigação pela Polícia Civil. As prisões são preventivas.

A presa foi encaminhada para o Presídio Feminino de Chapecó e o homem para a Unidade Prisional Avançada (UPA) de São José do Cedro, onde permanecerão à disposição da Justiça.

WhatsApp Image 2022 03 25 at 18.32.44

Nesta sexta-feira (25), a Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Delegacia de Polícia de Comarca da Fronteira de Quilombo, cumpriu cinco mandados de prisão temporária e quatro mandados de buscas domiciliares referentes a uma investigação que apura crime de roubo cometido por simpatizantes e membros integrantes de organização criminosa. As buscas domiciliares e as prisões foram realizadas nos municípios de Coronel Martins, Concórdia, Charqueadas (RS) e Foz do Iguaçu (PR).

O crime aconteceu em 5 de dezembro de 2021, em uma residência localizada no centro de Irati (SC), quando quatro homens, encapuzados e vestidos com roupas que lhes cobriam todo o corpo, praticaram um roubo mediante violência física e grave ameaça exercidas com emprego de armas de fogo e facões contra um casal. Na ocasião, foram subtraídas joias, semi-joias, bijuterias, aparelhos de telefone celular, folhas de cheque e dinheiro.

Durante as investigações, que duraram mais de três meses, identificou-se a coautoria e a participação de seis pessoas no crime, sendo dois deles, à época, foragidos do sistema penitenciário e suspeitos do triplo homicídio ocorrido na cidade de Quilombo.

Os presos foram encaminhados para os Presídios de Chapecó e Concórdia, onde se encontram à disposição da Justiça. 

Participaram da operação policiais civis das delegacias regionais de São Lourenço do Oeste e de Concórdia e do Núcleo de Operações com Cães (NOC/PCSC).